Maria Cristina Forti – Doutora, USP, 1989

fortiGraduação em Física – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1976); mestrado em Eletrônica e Telecomunicações – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (1981), Doutorado em Geofísica – Universidade de São Paulo (1989); Pós doutorado no Institute of Hydrology (atual Centre for Ecology and Hydrology) no Reino Unido (1991). Pesquisadora Titular no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais no Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST). Desenvolve e colabora em pesquisas na área de estudos integrados em microbacias hidrográficas com ênfase em Hidrogeoquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: transferências de espécies químicas nas interfaces de ecossistemas tropicais, ciclos biogeoquímicos, monitoramento e observação ambiental, aplicação de modelos ambientais em áreas tropicais, e estudos de acidificação de ecossistemas. Com a criação do CCST em 2009 as atividades voltaram-se para implantação de infra-estrutura de laboratório para gerar dados observacionais confiáveis acerca da qualidade ambiental (atmosfera, vegetação, solo, água e soluções aquosas em geral), na linha de ciclos biogeoquímicos e com inserção na pós-graduação em Ciência do Sistema Terrestre. As pesquisas atuais são voltadas para a realização de estudos integrados de componentes dos ciclos do carbono e nitrogênio (principalmente), estudos relativos às interações gás-partícula na atmosfera, deposição (seca e úmida) de espécies reativas de nitrogênio bem como estudos sobre a caracterização química e traçadores de processos, em águas de chuva e aerossóis atmosféricos, com o objetivo de avaliar impactos em serviços ambientais em diferentes condições do ambiente (urbano, rural, área de queimadas); colabora diretamente com estudos de desenvolvimento de tecnologias ambientais. Presentemente está coordenando a implantação de uma rede piloto de observação da qualidade atmosférica para permitir estudos sobre espécies reativas de nitrogênio.

Lattes