Carlos Afonso Nobre, Ph.D., MIT, 1983

nobre_webPossui graduação em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (Dezembro de 1974) e doutorado em Meteorologia pelo Massachusetts Institute of Technology (Janeiro de 1983). Iniciou sua carreira profissional no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), em 1975. Atuou como pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais de 1983 a 2012. Exerce desde fevereiro de 2011 a função de Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI. Exerceu funções de gestão e coordenação científicas: chefe do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST-INPE) de 2008 a 2011 e coordenador geral do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC-INPE) de 1991 a 2003. E também coordenação de experimentos científicos, entre outros: coordenador científico do Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA) durante o período de 1996 a 2002, coordenador brasileiro do Anglo-Brazilian Climate Observations Study (ABRACOS) de 1990 a 1996; e coordenador brasileiro do Experimento AMAZALERT entre instituições européias e sul-americanas, iniciado em 2011. Exerceu a presidência do International Advisory Group do Programa de Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PP-G7) (2006-2008). Exerceu a presidência do Comitê Científico do International Geosphere-Biosphere Programme (IGBP). Preside os Conselhos Diretores da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas (Rede CLIMA) e do Painel Brasileiro de Mudanças Cllimáticas. Foi coordenador do Programa FAPESP de Pesquisa em Mudanças Climáticas Globais (2008-2011). Atuou na CAPES como coordenador da Comissão de Cursos Multidisciplinares (2006-2008); Representa o Brasil no International Institute for Applied System Analysis. e é membro do International Scientific Advisory Panel do Climate Change Adaptation Program, da Holanda. Atualmente é membro do "High Level Scientific Advisory Panel on Global Sustainability" do Secretário Geral da ONU. Tem experiência na área de Geociências e Ciêencias Ambientais, com ênfase em Meteorologia, Climatolgia, Modelagem Climática e Ciência do Sistema Terresstre, atuando principalmente nos seguintes temas: ciências atmosféricas, clima, meteorologia, Amazônia e modelagem climática, interação biosfera-atmosfera, mudanças climáticas e desastres naturais. Ministra as disciplinas Interação Biosfera-Atmosfera e Introdução à Ciência do Sistema Terrestre, em Programas de PG do INPE. Formulou há 20 anos a hipótese da "savanização" da Amazônia em resposta a desmatamentos e vem estudando como o aquecimento global pode influenciar a floresta tropical. Já orientou 30 alunos de mestrado e doutorado. Participou como autor de vários relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). Em particular, foi um dos autores do Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, o qual, em 2007, foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz, juntamente com Al Gore. Recebeu, em 2007, o Prêmio da Fundação Conrado Wessel, na área de Meio Ambiente. Em 2009, recebeu a Von Humboldt Medal da European Geophysical Union. Em 2010, recebeu a condecoração da Classe Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico da Presidência da República. Recebeu, em 2011, o "Prêmio a la Cooperación em Ciencia, Tecnologia y Innovación Dr. Luis Frederico Leloir", do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva, da Argentina. Sua produção científica foi citada mais de 4,5 mil vezes (fevereiro de 2013) no ISI (índice h = 33) e mais de 5,5 mil vezes no Google Scholar.

Lattes