A Pós-Graduação Em Ciência Do Sistema Terrestre

A Pós-Graduação em Ciência do Sistema Terrestre busca desenvolver o entendimento das interações dos componentes do sistema natural (oceanos, atmosfera, criosfera, solo-vegetação) entre si, assim como a modelagem da interação deste sistema (biogeofísica, biogeoquímica e biodiversidade) com os sistemas humanos (instituições, políticas, cultura, economia, demografia, etc), isto é, busca entender a dinâmica da complexa interação de sistemas naturais e sociais.

O Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CCST) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) tem a missão de gerar conhecimentos interdisciplinares para o desenvolvimento nacional com equidade, e para redução dos impactos ambientais sobre o planeta Terra. Seus objetivos são: realizar estudos para avaliação de impactos das mudanças ambientais globais e regionais nos sistemas sócio-econômico-ambientais, especialmente aqueles associados às implicações no desenvolvimento nacional e na qualidade de vida; desenvolver tecnologias aplicáveis ao monitoramento, mitigação e adaptação às mudanças ambientais e formar recursos humanos na área que busquem soluções concretas a problemas ambientais globais que repercutam no Brasil e na América do Sul, utilizando ferramentas de modelagem e análise de dados ambientais.

O Curso de Doutorado em Ciência do Sistema Terrestre (PG-CST) tem como objetivo a formação de recursos humanos de alto nível para atender às demandas institucionais, nacionais e científicas relacionadas aos impactos, vulnerabilidades, processos sociais e políticas públicas associadas às mudanças ambientais regionais e globais. Os alunos ingressos à PG-CST poderão contar com amplo acesso às facilidades oferecidas pelo INPE de suporte à pesquisa e ensino avançados. O programa busca viabilizar apoio financeiro através dos órgãos que fomentam a Pós-Graduação (CAPES, CNPq, FAPESP e outros).

Em regime de tempo integral, o tempo médio para obtenção do titulo de doutor é de 48 meses, com períodos letivos trimestrais e férias acadêmicas em janeiro.